Publicado em vida

Vinho

O amor é como um bom vinho, vai ficando melhor com o tempo. Bebericando vai um copo atrás de outro, e mais houvesse. Quando acaba logo apetece mais. 

Prefiro sempre acabar o que tenho no copo.  Só em caso extremo mudo do inicialmente eleito. Qualquer escanção sabe do que falo. As pupilas gostativas levam certo tempo a apurar o paladar, o aroma a textura de um bom vinho.  Quando termina é difícil apurar novamente o paladar. 

Quase sempre prefiro não mudar, mas sem um bom vinho quem vive?!…

Viver, vive-se mas já não é a mesma coisa. 

Por favor não pise. Deixe-me continuar a saborear. 

https://youtu.be/1g_p4Xcn5CE

Anúncios
Publicado em vida

Tourada

Quero ir mais além. Chegar já não basta, entro em distrofia quando chego. 

Quero conhecer outros caminhos, olhar novos e desafiantes horizontes. 

Devo agarrar o Touro pelos cornos, é a solução ou vai ou racha de vez. É isso uma pega de caras. 

Eu forcado me confesso. 

Quantas pegas já tentaste? Pergunto-me serei o quanto te basta ou o bastante?

Quem quer vai atrás. Quem não quer deixa ir. 

O sucesso da pega de caras é correr na mesma direção, até ao ponto da coligação. 

Vou esperar que o toiro saia das trin.cheiras.(?)

Publicado em vida

CASA

Atiro os óculos de sol para banco do pendura, Ausente. Agarro as duas mãos ao volante, olho o anelar, ocupado. Debruço-me na estreita direção do para-brisas, desmaio o olhar. Perdi-o, por tempo indeterminado. Permaneço presa ao fino fio entre o céu e o mar, não consigo nadar nem voar. Recupero os sentidos, desligo o automático e deixo a razão tomar a dianteira, limpo o rosto e sigo.

Espanto-me sempre como se fosse a vez primeira, em que me encontrei neste lugar. Há sítios e lugares Amigos que falam connosco.

O leito deste mar bravio, com paredes de xisto irreverente, por teto o céu azul cinza, os odores a urze em todos os recantos, o chilrear dos pássaros à mesma hora. Também eles regressam das aventuras por dunas e escarpas, mais um dia de folia, sobrevivem na memória do tempo. Lugares incomuns, reparam a Alma, rasgam sorrisos largos.

AaaH cheguei.

https://youtu.be/3v73ecjopiQ

Publicado em vida

Alvo

Matar dois coelhos com uma cajadada não é para todos. Muito menos para os que não sabem jogar à batalha naval. 

Poderia ser é certo,  dado o espaço entre os objectos que com três tiros e com muita, muita sorte (mas essa só de principiante) três fossem em três barcos diferentes ou dois fossem num e outro noutro e outro na água ou até com um pouco menos de sorte um num barco qualquer e dois na água ou ainda até com muita pouca sorte num submarino mas quando se atira no escuro dificilmente acertamos na muge. 

Muito bom, três tiros todos ao lado é obra não é para todos.  
Tão somente porque não se deve subestimar o aderversario. 

Não saber jogar não dá sorte, só por si, É preciso treinar. 
Logo o barco de  cinco canos, que é como quem diz, o porta aviões, nem pensar, quem tudo quer tudo perde. E fica sem saber como jogar. TRÊS tiros, água, agua, aguaceiro. 

Ps. Talvez se perguntar fique a saber e aí sim, talvez passe a dominar as regras do jogo. 

Publicado em vida

Rosé

Saboreio e desejo sentir-te ,……. sou eu mais tu.

 A sós o melhor acompanhamento, Friso ou grisado já não sei.

 O Melhor ou melhor dizendo. A MELHOR, agora estou a gritar apenas para saberem o quanto importante é rose para mim.  
Quando te vi apaixonei-me por ti. 

Tiro e queda, quem diria. Eu?

Mas enfim foi assim, que me cortem os braços. Já agora ou depois já não sei.

     Que me cortem os braços que se dirigem a mim de um só trago aqui e já.

     Aqui e já se não for como digo.

     Foi sim digo eu, eu  filha de meu pai,  adorado de minha mãe, filho pródigo de sua mãe, minha avó.

     Que me cortem os pulsos se assim não foi.

    Meu adorado, idolatrado, saboroso enfim gostoso. 

    Mateus Rosé